Um grande homem para a humanidade

31/08/2012

O primeiro homem a pisar na Lua, Neil Armstrong, será sepultado em uma cerimônia privada para família e amigos nesta sexta, segundo divulgação da família do astronauta. Armstrong faleceu no dia 25 de agosto, aos 82 anos, por complicações ligadas a uma cirurgia no coração.
Armstrong foi o comandante da Apollo 11, missão que chegou à Lua em 20 de julho de 1969. Ao ser o primeiro ser humano a pisar em outro corpo celeste, Armstrong proferiu a frase: “Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade.”
Nascido em 5 de agosto de 1930, Armstrong foi piloto da Marinha dos Estados Unidos entre 1949 e 1952 e lutou na Guerra da Coreia. Em 1955, se formou em engenharia aeronáutica pela Universidade de Purdue e se tornou piloto civil da agência que precedeu a Nasa, a Naca (Conselho Nacional de Aeronáutica).
Na cidade natal do primeiro homem na Lua, Wapakoneta, o Museu do Ar e Espaço Armstrong, prepara uma homenagem chamada “Pisque para a Lua”. Em nota oficial, a família de Armstrong pediu: “A próxima vez que você der um passeio em uma noite clara e vir a Lua sorrindo para você, lembre de Neil Armstrong e dê uma piscadela para ele.”

Saiba mais sobre a biografia de Neil Armstrong aqui: http://migre.me/awf7a

Reveja vídeos do pouso na Lua: http://migre.me/awf7I

Centenário de Nelson Rodrigues

23/08/2012

Nelson Rodrigues, que estaria completando 100 anos nesta quinta-feira (23), foi chamado de pornográfico, imoral, louco, reacionário, tudo isso ao revolucionar o teatro brasileiro, em meados do século 20.
Pernambucano que se mudou para o Rio de Janeiro ainda criança, ele começou a vida como jornalista e estreou no teatro em 1941, com a peça A Mulher sem Pecado. Apenas dois anos depois, escreveu Vestido de Noiva, peça narrada em três planos – alucinação, memória e realidade – que se tornou um enorme sucesso de público e crítica.
De acordo com o diretor de teatro Marco Antônio Braz, Nelson Rodrigues está para o teatro brasileiro como a Semana de 22 está para a literatura. Foi ele quem trouxe a coloquialidade, um olhar agudo sobre a realidade do povo e da classe média e fez com que a dramaturgia do País finalmente chegasse em sua fase adulta – enfrentando todas as críticas e censuras impostas ao seu trabalho.
Além do teatro, Nelson nunca deixou de escrever em jornais. Seus contos – em especial a famosa série A Vida Como Ela É… – são retratos deliciosamente trágicos da classe média brasileira, principalmente aquela da Zona Norte carioca, onde cresceu. Suas crônicas sobre futebol ¿ ele era um fanático torcedor do Fluminense – também são relatos impressionantes do esporte que mais desperta paixão entre os brasileiros.

Centenário de Jorge Amado

22/08/2012

A intimidade com que expôs traços, costumes e contradições da cultura brasileira foram fatores por trás da popularidade que Amado desfrutou em vida. Mas no centenário de nascimento do escritor baiano, o reconhecimento sobre a importância de sua obra continua a crescer no Brasil e no exterior.

Amado é um dos escritores brasileiros mais conhecidos internacionalmente, com obras publicadas em 49 línguas e 55 países. O interesse aumentou com a aproximação do centenário. Nos últimos três anos, pelo menos 45 contratos foram fechados com editoras estrangeiras para a publicação de seus livros, conta Thyago Nogueira, editor responsável por sua obra na Companhia das Letras.

O centenário motivou uma série de seminários e eventos comemorativos em cidades como Salvador, Ilhéus, Londres, Madri, Lisboa, Salamanca e Paris. A reverberação lembra a frase do escritor moçambicano Mia Couto, para quem Amado fez mais para projetar a imagem do Brasil lá fora do que todas as instituições governamentais reunidas. ‘Jorge Amado não escreveu livros, escreveu um país’, afirmou Couto em 2008, em uma palestra em que prestou testemunho sobre a forte influência do autor sobre escritores africanos.

Amado nasceu em 12 de agosto de 1912 em Itabuna, na Bahia, e escreveu quase 40 livros, com um olhar aguçado sobre os costumes e a cultura popular do país. Ele faleceu em 2001.

Homenagem aos pais no Crematório Metropolitano

08/08/2012

Para celebrar o Dia dos Pais, o Crematório Metropolitano convida você e seus familiares a participarem da programação especial em seus empreendimentos. Em São Leopoldo, no Crematório Metropolitano Cristo Rei, as cerimônias de homenagem acontecem em dois horários, às 10h e às 16h. Pela manhã terá participação do Quarteto de Cordas Presto, do Projeto MusiCâmara, com a coordenação de Lucia Passos. Na missa da tarde, a participação fica por conta do coral do grupo Renovai da Paróquia Duque. Durante todo o dia será realizada uma exposição de trabalhos feitos por alunos da APAE.
No Crematório Metropolitano São José, em Porto Alegre, a homenagem acontece no sábado, dia 11, às 15h30. Já no Crematório Metropolitano Saint Hilaire, na divisa de Porto Alegre e Viamão, a homenagem também será dividida em duas missas especiais, às 10h e às 16h.
O Dia dos Pais é a data de maior visitação a cemitérios e crematórios no Brasil, sendo superado apenas em Finados, segundo dados dos estabelecimentos citados. O segundo domingo de agosto supera, até mesmo, o Dia das Mães em homenagens aos falecidos pais.

Mais informações: 0800.51.2624

Nem parece morte

29/06/2012

O Bosque In Memorian está localizado no Crematório Parque Saint Hilaire

Há alguns anos começaram a pipocar no Brasil serviços que transformam os velórios em pequenos espetáculos, com execução de harpa ou violino ao vivo, chuva de pétalas de rosa, revoada de pombos, bufê, música ambiente, transmissão pela internet e efeitos especiais (em um auditório, parentes e amigos assistem ao caixão ser elevado por uma sistema mecânico até sumir por uma abertura no teto, como se chegasse ao céu). Como bem diz o proprietário de uma funerária ouvido pela Folha de S. Paulo, as empresas passaram a tratar a morte “como mais um evento social, nesse caso o último da pessoa e o mais importante”.

Crematórios não ficam atrás. As cinzas podem ser transformadas em pedras semelhantes a diamantes ou espalhadas pelo espaço sideral, graças à parceria de empresas brasileiras com funerárias americanas. Já uma artista plástica oferece também a possibilidade de pintar quadros usando as cinzas como uma de suas matérias-primas.
Mesmo as homenagens aos que se foram têm sido, digamos, repaginadas. Em alguns cemitérios de São Paulo, o Dia de Finados tem sido transformado em acontecimentos familiares nos quais psicólogos falam às crianças sobre o luto – não sem antes elas terem passado por pula-pulas e outros brinquedos típicos e “biscoitos da saudade” terem sido oferecidos aos visitantes. Cemitérios paulistas, aliás, têm se esforçado para se parecerem mais com aprques, com imensas áreas verdes nas quais se encontram os túmulos.

Em Porto Alegre, o Grupo Cortel é pioneira em serviços e diferenciais. Um dos principais diferenciais que compõem o serviço dos empreendimentos é a possibilidade de realização de cerimoniais diferenciados. São diversas alternativas disponibilizadas aos familiares e dentre elas se destaca a possibilidade de escolha de música de acordo com a preferência do ente querido ou da família, que vão desde os clássicos aos populares, além de outras opções de homenagens como o Forever, o Portal In Memorian, o Bosque In Memorian, opção de velório on-line, dentre outros.

Posts mais populares