Histórias do Cemitério da Recoleta

27/08/2012

Além da já tradicional visita à tumba da Evita, o cemitério da Recoleta, o mais famoso e tradicional da Argentina, guarda outras interessantes histórias.
O blog Aires Buenos reuniu e publicou cinco delas. As histórias mostram que, além dos mausoléus e da arte cemiterial, conhecer as histórias do lugar torna sua visita bem mais interessante. Confira hoje a quarta história desta série.

4. Salvador María del Carril e Tiburcia Dominguez, o rancor eterno

Salvador María del Carril foi vice-presidente constitucionalista, governador de San Juan e Ministro de Governo, porém é lembrado no cemitério pelo péssimo relacionamento que tinha com sua esposa Tiburcia.
Depois de uma briga horrível, o casal deixou de se falar e assim ficaram por mais de 30 anos. Del Carríl, inclusive, fez uma carta pública dizendo que estava cansado das dívidas da mulher e não pagaria mais nenhum centavo do que ela devia.
Quando ele faleceu, sua esposa fez um mausoléu lindíssimo para o marido, com uma estátua olhando para o sul. Quinze anos depois, quando Tiburcia morreu, seu último desejo era que seu busto fosse colocado de costas para o de Del Carril, já que seu ódio duraria toda eternidade. Continuam sem se falar e se olhar desde então.

Histórias do Cemitério da Recoleta

20/08/2012

O blog Aires Buenos reuniu cinco histórias do cemitério da Recoleta, o mais famoso e tradicional da Argentina, que vão além da já tradicional visita à tumba de Evita.
As histórias mostram que, além dos mausoléus e da arte cemiterial, conhecer as histórias do lugar torna sua visita bem mais interessante. Confira hoje a terceira história desta série.

3. Liliana Crociati e a conexão com seu cachorro

Em 1970, Liliana morreu numa avalanche durante sua lua de mel na Áustria, na cidade de Innsbruck. No mesmo dia, separado por mais de 14 mil quilômetros de distância, seu cachorro Sabú também faleceu.
Seu pai fez um mausoléu que imita o quarto que Liliana tinha em vida. Sua escultura é a única do cemitério acompanhada por um cachorro.

Perdeu a primeira história da nossa série? Clique aqui.

Para ler a segunda história, clique aqui.

Histórias do Cemitério da Recoleta

13/08/2012

O blog Aires Buenos reuniu cinco histórias do cemitério da Recoleta, o mais famoso e tradicional da Argentina, que vão além da já tradicional visita à tumba de Evita.
As histórias mostram que, além dos mausoléus e da arte cemiterial, conhecer as histórias do lugar torna sua visita bem mais interessante. Confira hoje a segunda história desta série.

2. David Alleno, o coveiro que quis estrear a própria tumba

Desde sua fundação, o cemitério da Recoleta foi endereço fúnebre dos mais ricos. Ser sepultado no local era uma vontade de muitos, inclusive de David Alleno.
David era coveiro do cemitério e sonhava em passar a eternidade ali. Economizou durante toda sua vida para isso acontecer. Com a ajuda do seu irmão, viajou até a Itália, onde encomendou sua escultura (na foto). A lápide do coveiro foi encomendada já com o ano da sua morte, 1910. Quando perguntado sobre esse macabro detalhe pelos seus colegas de trabalho, David nada dizia.
No dia que sua tumba finalmente ficou pronta, David avisou a administração do cemitério que não trabalharia mais ali. Despediu-se dos colegas e foi embora. Ao chegar em casa, o coveiro suicidou-se.
No seu túmulo há uma estátua que o representa com sua antiga roupa de trabalho, uma regadeira, uma vassoura, um molho de chaves e os dizeres “David Alleno, cuidador en este cementerio 1881-1910″. Atualmente é o único feliz proprietário desse pedaço de terra.
Perdeu a primeira história da nossa série? Clique aqui.

Cemitério Parque Memorial da Colina realiza palestra sobre luto

11/07/2012

O Memorial da Colina dispõe deum lugar de homenagem voltado à oração e à meditação

O Cemitério Parque Memorial da Colina (Frederico Augusto Ritter, 6221), promove neste sábado, após a missa das 10h, a palestra “Como enfrentar o luto”. A iniciativa faz parte do Ciclo de Palestras 2012 do Projeto de Apoio a Enlutados (PAE), que tem o objetivo de proporcionar um espaço para abordar os aspectos e fases que envolvem o luto. A palestra de apoio fica a cargo da psicóloga Adriana Binotto, diretora da AB – Clínica de Psicologia e Apoio ao Luto e especialista em atendimento clínico do luto.

O Memorial da Colina fica em Cachoeirinha, próximo à RS 118, e dispõe de um lugar de homenagem voltado à oração e à meditação, além de recantos com paisagens naturais. O Cemitério faz parte do Grupo Cortel, um dos maiores grupos do ramo de crematórios e cemitérios do Brasil, que realiza o Ciclo de Palestras regularmente há cinco anos em seus empreendimentos. Mais informações no site www.memorialdacolina.com.br ou pelo telefone (51) 3470-8311.

Turismo em cemitério repleto de obras de arte no Equador

04/07/2012

Cemitério Equador vira roteiro turístico

Monumentos, túmulos e mausoléus onde descansam políticos e artistas estão entre os roteiros turísticos que o Equador oferece em um cemitério de quase 170 anos. O cemitério fica em Guayaquil, a maior cidade do país e ocupa cerca de 15 hectares, um terço dos quais foram declarados Patrimônio Cultural da Nação graças a suas mais de 200 peças tombadas.
Os estilos arquitetônicos greco-romano, neoclássico, barroco e mudéjar, entre outros, que decoram o cemitério foram criados por artistas europeus que chegaram a Guayaquil no final do século 19 e princípio do século 20. As mãos de artistas locais também adicionaram ao cemitério ruas, escadas, palmeiras e dezenas de belas esculturas de beijos e abraços de anjos, efígies femininas repousando sobre túmulos evocando paz, outras fundidas em um abraço de dor, resignação e contemplação.
O Cemitério de Guayaquil é um dos mais belos da América Latina pelas esculturas, algumas de 200 anos, assim como por sua infraestrutura e simbologia. Há mausoléus imensos que parecem casas, dentro há amplos espaços, quase igrejas.
A iniciativa na necrópole situada no coração de Guayaquil utiliza o turismo cultural e educacional como ferramenta para conservar o patrimônio, como há também em Medellín, Buenos Aires e Santiago do Chile. Por isso, convencido de que o patrimônio ajuda a cultivar os valores e a identidade do povo, o Ministério de Patrimônio do Equador capacitou turismólogos e funcionários do cemitério para que ajudem a reforçar a cultura deste museu ao ar livre que emoldura a história do país.

Reprodução/Época Negócios

O livro do cemitério, de Neil Gaiman, vai virar filme

22/06/2012

Crédito: Divulgação

A adaptação da obra O Livro do Cemitério, do escritor Neil Gaiman, sairá do papel direto para as telas do cinema. A Disney comprou os direitos da adaptação e entregou a direção para Henry Selick, responsável por O Estranho Mundo de Jack e pela adaptação de outro livro de Neil Gaiman, Coraline.
A trama do livro segue a história de um garoto órfão que foi criado pelos habitantes fantásticos de um cemitério. Entre lápides e covas, o livro acompanha o crescimento de Nin, desde um pequeno bebê, até um jovem adolescente, quando o destino leva o jovem a um embate entre ele e o assassino de seus pais. Por enquanto, o filme ainda não tem data de estreia nem elenco definido.

A vida de quem fica

15/06/2012

Os sintomas do luto são divididos em fases: choque, negação, raiva, depressão e aceitação. Nesse processo, a pessoa experimenta desinteresse pela vida, culpa, baixa auto-estima, angústia, revolta. A duração e a intensidade desses sentimentos vão depender do histórico de perdas da pessoa, e também do grau de relação com quem morreu e do tipo de morte. Para apoiar quem passa por este momento difícil, o Grupo Cortel promove anualmente um ciclo de palestras no Projeto de Apoio a Enlutados. A próxima palestra do Ciclo 2012 ocorre no dia 30 de junho, sábado, no Cemitério Parque Jardim São Vicente, após a missa das 15h. Psicólogas da AB – Clínica de Psicologia e Apoio ao Luto ministram o tema “As Mudanças que a Vida Traz”.

Clique aqui e confira em reportagem da Revista Marie Claire como algumas pessoas superaram a perda.

Cemitério em animação

11/06/2012


O Cimetière du Père Lachaise é o maior cemitério da cidade de Paris e está entre os mais famosos do mundo. Localizado ao leste da capital francesa e fundado em 1804, lá estão os restos mortais de importantes personalidades da história mundial como: Oscar Wilde, Jean de La Fontaine, Marcel Proust, Jim Morrison, Frédéric Chopin, Pierre Bourdieu, entre outros.

A produtora De Films En Aiguilles criou uma animação que mostra um pouco deste incrível ponto turístico através da imaginação ingênua de uma menina. Escrito e dirigido por Antoine Colomb e Guillaume Rio, The ghosts of Père Lachaise é bonito, puro e muito bem executado.

Assista ao vídeo aqui:
The ghosts of Père Lachaise

Cemitério ucraniano vira ponto turístico

09/11/2011

Um cemitério da cidade de Dnepropetrovsk, na Ucrânia, tem chamado a atenção dos turistas que passam pela cidade. As lápides, personalizadas, são verdadeiras obras de arte.

O costume de se marcar imagens em mármore, nos verdadeiros monumentos que adornam as sepulturas, começou com as famílias mafiosas, que dominaram o país após o fim da União Soviética. Como uma maneira de demonstrar seu poder, cada família tentava superar as famílias rivais, tornando as lápides cada vez mais elaboradas que as anteriores.

Lápides, em tamanho natural, feitas em mármore gravado a laser

A técnica de gravação em mármore utilizada, onde um laser faz ranhuras de um milímetro de profundidade na superfície da pedra, é meticulosa; uma lápide destas, em tamanho natural, leva cerca de seis semanas para ser finalizada, e é somente realizada por profissionais especializados.

Hoje, já sem a dominação da máfia, o costume permanece graças a algumas famílias mais abastadas, e as lápides impressionantes se tornaram um dos grandes pontos de visitação da cidade.

Fonte: G1

Posts mais populares