Dia de Finados é marcado por fé e emoção do público

05/11/2013

Amor, fé e emoção. A união desses sentimentos foi a marca do público que compareceu nos empreendimentos do Grupo Cortel, no último sábado (2), por ocasião do Dia de Finados. Durante todo o dia, crianças, adultos e idosos percorreram os espaços para reforçar o vínculo eterno com seus entes queridos.

Em todas as unidades, o público foi recepcionado por apresentações musicais ao vivo, como saxofone, no Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, no Crematório Metropolitano e Memorial Ecumênico Cristo Rei e no Cemitério Parque Jardim São Vicente. Em Porto Alegre, a trilha sonora ficou por conta do violinista Vinicius Nogueira (foto), levando serenidade ao momento de intensa emoção dos familiares, que aproveitaram o instante para recordar os momentos felizes passados ao lado de seus entes queridos.

São José

Apresentação de violino no Crematório São José.

A diversidade religiosa garantiu momentos de fé para familiares e amigos, como nas missas celebradas pelo Bispo Auxiliar Dom Jaime Sprengler, no Cemitério Parque Memorial da Colina, e pelo Arcebispo Metropolitano Dom Dadeus Grings (foto), no Crematório Metropolitano e Cemitério Parque Saint Hilaire.

A participação do Grupo Vocal Phoenix, do Coral da Santa Casa e do Quarteto de Cortas Presto nas missas reforçou a a presença da música como oração para dar conforto ao coração.

Dom Dadeus

Dom Dadeus transmitiu mensagem de carinho aos entes queridos que partiram.

Os visitantes conferiram ainda atrações culturais, como as exposições “Descobrindo Porto Alegre”, no Cemitério Parque Jardim São Vicente, e “Transmutação”, no Crematório Metropolitano São José (foto). As obras destacaram elementos do comportamento humano e da natureza.

Arminda Lopes São José

Parce do acervo da exposição Transmutação, da escultora gaúcha Arminda Lopes.

O momento de maior emoção do dia começou quando o helicóptero sobrevoou os cemitérios. Rapidamente, o público, até então sentado no gramado, rapidamente buscou a melhor posição para acompanhar a tradicional chuva de pétalas de rosas (foto). A reação durante a queda das rosas foi diversa: choro, aplauso, braços abertos, silêncio.

Chuva de pétalas no Cemitério Memorial da Colina

Chuva de pétalas no Cemitério Parque Memorial da Colina

Em todos os casos, no entanto, o comentário unânime era de que o gesto havia sido importante para dar conforto ao sentimento.

Equipes estiveram no empreendimento para orientar os visitantes e retirar dúvidas.

Deixe o seu comentário

Posts mais populares